Sexta-feira, 29 de Maio de 2020
Telefone: (54) 3385 1019
Whatsapp: (54) 996691013
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo limpo
22°
16°C
Tapera/RS
Tempo limpo
No ar: TOP HITS – As 12 músicas mais pedidas da programação.
Ao Vivo: TOP HITS – As 12 músicas mais pedidas da programação.
Notícias

Polícia Federal deflagra operação contra o tráfico em Santa Cruz do Sul

Polícia Federal deflagra operação contra o tráfico em Santa Cruz do Sul
11.06.2019 14h12  /  Postado por: fernando

A Polícia Federal (PF), com auxílio da Brigada Militar, deflagrou nesta terça-feira uma operação para combater uma facção criminosa, que atuava nas imediações de Santa Cruz do Sul praticando tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e sonegação fiscal. Os policiais federais devem cumprir três mandados de prisão e cinco de busca e apreensão na cidade. Duas pessoas já foram presas.

PUBLICIDADE

A investigação da PF recebeu informação de que um automóvel estaria sendo usado para transporte de entorpecentes para distribuição na região. A partir disso, os agentes realizaram a abordagem e perceberam que o carro tinha indícios de que teria sido utilizado para carregar drogas. No veículo, estavam três homens com a quantia de R$ 28 mil em espécie. Os homens foram liberados e o carro foi apreendido. O dinheiro foi depositado em conta judicial para dar início a investigação.

Um dos três homens que estavam no veículo alegou ser atleta profissional e que o dinheiro era proveniente dessa atividade. No entanto, o suspeito não apresentou provas da sua alegação. A investigação obteve quebras de sigilo bancário, sequestro de contas e restrições de veículos usados pela quadrilha para apurar origem do dinheiro movimentado pelo grupo.

A partir de uma operação da Polícia Civil, os investigadores descobriram que um dos suspeitos encontrados no carro apreendido teria assumido o posto de braço-direito do líder da facção. O inquérito policial também identificou que as contas tituladas pelos implicados eram usadas para depósitos para pessoas físicas e empresas localizadas nos estados do Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo. A suspeita é de que o dinheiro era usado para o pagamento de fornecedores de armas e drogas.
Fonte:Correio do Povo

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.