body.studiofm #infos-topo { background: rgba(255, 0, 0, 0.70); } #meio-topo .ao-vivo .cabecalho a { color: #ec0737; }
Sábado, 19 de Setembro de 2020
Telefone: (54) 3385 1019
Whatsapp: (54) 996691013
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo limpo
23°
13°
17°C
Tapera/RS
Tempo limpo
No ar: LIGAÇÃO – O melhor do pop rock nas suas noites!
Ao Vivo: LIGAÇÃO – O melhor do pop rock nas suas noites!
Notícias

Terror está em destaque nas telonas com estreias de “O Grito” e “Cicatrizes”

Terror está em destaque nas telonas com estreias de “O Grito” e “Cicatrizes”
13.02.2020 10h56  /  Postado por: fernando

Com direção do jovem Nicolas Pesce e 16 anos depois do lançamento da primeira refilmagem americana de “Ju-on”, a nova versão de “O Grito” estreia hoje nos cinemas. Espécie de “reimaginação” do clássico do terror japonês, surge na tela com cenas assustadoras e seguindo a linha do original. É o que se pode chamar de reboot: uma nova versão de uma obra de ficção, sem seguir, como o remake e a prequela, totalmente baseados na obra original.

No elenco do filme estão Andrea Riseborough, Demian Bichir e John Cho, em um roteiro que dá muitas voltas para contar o que acontece em uma casa, onde uma maldição nasce após uma pessoa morrer em um momento de terrível terror e tristeza. Voraz, a entidade maligna não perdoa ninguém, fazendo vítima atrás de vítima e passando a maldição adiante. Há momentos que podem produzir sustos, com o surgimento das entidades. Em outras situações, trata-se de uma investigação policial, na qual alguns investigadores se tornam, aparentemente, perturbados e obcecados pelos acontecimentos na casa.
Representante da Sérvia no Oscar
Outra estreia é de “Cicatrizes”, filme sérvio, dirigido por Miroslav Terzi e que foi o representante da Sérvia na corrida pelo Oscar deste ano. O roteiro da produção é baseado no testemunho de Drinka Radonjic, uma costureira de Belgrado que procurou pelo seu “filho natimorto” por quase duas décadas.

No filme, poucos dias após o parto, seu obstetra disse a ela que seu bebê recém-nascido havia morrido. Mas ela nunca recebeu o corpo do filho ou descobriu onde o hospital o enterrou. A suspeita de que a criança tenha sido na verdade raptada a conduz por uma exaustiva saga.

Na trama, Ana é a costureira com uma vida assombrada pela suspeita da fraude sobre a morte de seu bebê. Cerca de 500 famílias da região passaram pelo mesmo que Drinka e ainda tentam encontrar seus filhos roubados durante o fim dos anos 1980 e início da década de 1990. O período marca o começo de uma guerra que partiu a antiga Iugoslávia.

Foto: Sony Pictures / Divulgação / CP

Por
Correio do Povo

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.