Quarta-feira, 27 de Maio de 2020
Telefone: (54) 3385 1019
Whatsapp: (54) 996691013
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo limpo
17°
16°C
Tapera/RS
Tempo limpo
No ar: OXIGÊNIO – O gás da sua tarde.
Ao Vivo: OXIGÊNIO – O gás da sua tarde.
Central de Lançamentos

OMS vai distribuir 30 milhões de testes de Covid-19 nos próximos meses

OMS vai distribuir 30 milhões de testes de Covid-19 nos próximos meses
20.04.2020 16h03  /  Postado por: fernando

A Organização Mundial da Saúde (OMS) vai enviar mais 30 milhões de testes de coronavírus nos próximos 4 meses para os países que precisarem. As primeiras remessas começarão a ser enviadas na próxima semana, disse o diretor-geral Tedros Adhanon.

A organização vem defendendo a testagem em larga escala como uma das formas de controle da epidemia, mas muitos países enfrentam dificuldades por não terem estruturas de produção ou acesso a matéria-prima. A disponibilidade de testes é, inclusive, uma das pré-condições estabelecidas pela OMS para o relaxamento de medidas de isolamento.

Além da entrega dos exames, a organização continuará enviando equipamentos médicos de proteção contra a doença, como máscaras, protetores faciais e óculos para os 120 países na lista de prioridade. Os esforços para entregar o material também serão reforçados no continente africano.

Segundo o diretor, entre abril e maio, a OMS quer enviar 180 milhões de máscaras cirúrgicas e óculos de proteção, para os países mais necessitados. Com a pandemia, os equipamentos de segurança básico estão esgotando pelo mundo e diversos países não conseguiram estocar material suficiente para se proteger.

“Relaxar quarentena não quer dizer que pandemia acabou”
Tedro também comentou sobre a suspensão e relaxamento das quarentenas pelo mundo e reforçou que é preciso garantir que a transmissão do vírus está sob controle. “Suspender as restrições não quer dizer que a pandemia acabou”, alertou.

Ele explicou que as quarentenas são necessárias para controlar os picos de transmissão da doença e aumentar o número de contágios, mas que o isolamento sozinho não consegue acabar com a doença e que os países precisam continuar fazendo testes, tratando os doentes e rastreando os contágios.

Fonte:Correio do Povo

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.