body.studiofm #infos-topo { background: rgba(255, 0, 0, 0.70); } #meio-topo .ao-vivo .cabecalho a { color: #ec0737; }
Sexta-feira, 25 de Setembro de 2020
Telefone: (54) 3385 1019
Whatsapp: (54) 996691013
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo nublado
27°
13°
24°C
Tapera/RS
Tempo nublado
No ar: CLÁSSICOS DA STUDIO – As músicas que marcaram época: anos 80, 90 e início de 2000.
Ao Vivo: CLÁSSICOS DA STUDIO – As músicas que marcaram época: anos 80, 90 e início de 2000.
Notícias

Governo libera R$ 3,81 milhões para conter queimadas no Pantanal

Portaria publicada no DOU desta quarta diz que ações poderão ser executadas no prazo de até 180 dias
Governo libera R$ 3,81 milhões para conter queimadas no Pantanal
16.09.2020 10h32  /  Postado por: mateus

O governo federal liberou nesta quarta-feira R$ 3,81 milhões para a Defesa Civil do Mato Grosso do Sul conter as queimadas no Pantanal.

De acordo com a portaria publicada no DOU (Diário Oficial da União), o prazo de execução das ações será de 180 dias, “considerando a natureza e o volume de ações a serem implementadas”.

Na segunda-feira, o governo estadual do Mato Grosso do Sul decretou situação de emergência ambiental, já que, desde o início do ano, os incêndios destruíram cerca de 1,4 milhão de hectares de vegetação.

Na ocasião, o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Lucas Alves, disse que o reconhecimento federal do decreto permitiria a aprovação de planos de trabalho e a liberação de recursos financeiros. “Vamos dar ao Mato Grosso do Sul todo o apoio e recursos necessários para vencermos este desafio”, disse Alves.

Segundo biólogos, os incêndios estão ameaçando um dos ecossistemas de maior biodiversidade do planeta. O Pantanal abriga cerca de 1.200 espécies de animais vertebrados, incluindo 36 ameaçados de extinção.

Também na segunda, a PF (Polícia Federal) iniciou  uma operação para encontrar os responsáveis pelos incêndios que queimam o Pantanal. Em nota, o órgão afirma que há indícios de incêndios criminosos iniciados em áreas inóspitas da região e que podem ter sido causados por ação humana.

Fonte: Correio do Povo

Foto: Ascom

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.