Segunda-feira, 27 de Setembro de 2021
Telefone: (54) 3385 1019
Whatsapp: (54) 996691013
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo limpo
29°
12°
27°C
Tapera/RS
Tempo limpo
No ar: CLÁSSICOS DA STUDIO – As músicas que marcaram época: anos 80, 90 e início de 2000.
Ao Vivo: CLÁSSICOS DA STUDIO – As músicas que marcaram época: anos 80, 90 e início de 2000.
Notícias

Vice-presidente da CPI da Covid quer saber qual autoridade fez acordo por argentinos

Conmebol e CBF falaram com governo brasileiro para garantir presença em partida
Vice-presidente da CPI da Covid quer saber qual autoridade fez acordo por argentinos
06.09.2021 10h44  /  Postado por: mateus

O vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), elaborou um requerimento a ser apresentado ao colegiado para saber qual foi a autoridade brasileira que “estabeleceu o suposto ‘acordo’ para burlar as regras sanitárias sobre a entrada de estrangeiros no território nacional”. O documento deve ser apresentado aos senadores da comissão na próxima semana.

O pedido de informações é destinado à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), à Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), ao Ministério da Saúde e à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para que enviem as resposta em um prazo de até 48 horas.

No último domingo (5), servidores da Anvisa entraram em campo no início do jogo entre Argentina e Brasil, na Neo Química Arena, em São Paulo, e suspendeu a partida das Eliminatórias da Copa 2022. Pouco antes, a agência informou que quatro jogadores descumpriram a regra para entrada de viajantes em solo brasileiro, sem passar por quarentena dentro dos protocolos de controle devido à pandemia da covid-19.

Anvisa acionou a Polícia Federal para barrar os atletas. Foi divulgado, entretanto, que a Conmebol e a CBF entraram em contato com o governo brasileiro para garantir a presença dos atletas no confronto. Além disso, na noite de domingo, a agência informou que os atletas entraram no Brasil usando informações falsas e que tentou notificar os atletas antes de eles chegarem ao estádio do Corinthians, em São Paulo.

Após a suspensão do jogo, a Anvisa pediu que a PF acompanhasse a delegação argentina até o aeroporto e solicitou abertura de processos contra os jogadores (Emiliano Martínez e Emiliano Buendia, ambos do Aston Villa, e Giovani Lo Celso e Cristian Romero, do Tottenham). “Anvisa informa que as medidas administrativas requisitadas são: acompanhar os quatro jogadores até o aeroporto; ter certeza que eles seguem para o país de origem e abertura de processo”, informou a agência em comunicado.

Fonte: Correio do Povo

Foto: Nelson Almeida

 

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.